sábado, 11 de outubro de 2008

Projeto e debate

Oi, gente!

Esta semana tivemos uma surpresa ruim: a Comissão de Educação e a de Administração Pública rejeitou nosso projeto na câmara com argumentos preconceituosos. É difícil até mesmo ler o que o vereador Osman Miranda escreveu. Não consegui transcrever aqui o relatório, mas coloco o link para vcs lerem direto no site da câmara.

http://www.cmbh.mg.gov.br/images/stories/secpro/outubro08/Projeto%201699-08%20-%20Parecer%20Relator%20Substituto%20Comissao%20Educacao%20-%20Primeiro%20Turno%20-%20Abertura%20de%20prazo%20para%20recurso.pdf

Com isto nosso projeto não pode mais tramitar, por enquanto. Temos 05 dias para apresentar um recurso que será avaliado pelo plenário (não sei quando) e, se recusado, só um novo projeto... O recurso já está quase pronto. Enviaremos para o vereador Fred Costa no máximo até amanhã para ele aprensentá-lo dentro do prazo (até dia 14).

Vamos fazer uma resposta para todos os vereadores, mas primeiro temos que garantir o recurso. Tenho certeza que vcs vão querer responder imediatamente depois da leitura, pois o sentimento de indignação fica muito forte. Mas peço para aguardarem até a apresentação do recurso, depois faremos um escândalo bem grande!!!

Com esta surpresa, provavelmente a portaria sairá antes do projeto ser aprovado. Pode ser que o projeto nem venha a ser aprovado este ano.

E agora?
É preciso investir mais do que nunca na formação das chapas. TEMOS QUE TER NO MÍNIMO 40 EDUCADORAS EM CHAPAS NAS UMEIS. Sabemos da dificuldade em convencer a escola núcleo a nos dar este espaço, por isto recomendamos que vcs discutam nas UMEIS quem tem interesse, na semana do dia 20 tirem representantes e passem no horário de recreio dos turnos da escola núcleo para conversar. Conversem com todos os professores juntos, peçam para que as pessoas interessadas em montar chapas as procurem.

Mas temos que ter alguns cuidados: não apresentar nomes neste momento para não correr risco de impugnação das chapas, discutir com todos que queremos participar e que teremos nomes para indicar para todas as chapas que aparecerem na escola (e temos que ter mesmo!!!). Falem que temos direito sim e que não permitir que sejamos vice-diretoras de UMEIS é PRECONCEITO. Temos a experiência docente que a LDB exige, conhecimento da realidade pedagógica, administrativa e da comunidade que atendemos, e formação para isto. Falem também que nós só votaremos nas chapas que tiverem educadoras, e convenceremos os pais a fazerem o mesmo.

Sabemos que em algumas escolas a atual vice-diretora é excelente e ela ainda pode se recandidatar! Mas não podemos hoje permitir que o preconceito tenha força. Não queremos ir contra elas, mas se não lutarmos por nós mesmas agora, de três em três anos teremos que reabrir este debate, e o desgaste para a gente e para as chapas é muito grande. Temos que sensibilizar estas vice-diretoras a nos dar esta chance, e é importante deixar claro que este movimento não é uma crítica ao trabalho delas, mas sim um passo grande para a nossa autonomia e para a valorização da educação infantil. Não podemos cair também na pegadinha de colocarmos uma educadora que tem outro cargo de professora na escola. Esta proposta destrói qualquer possibilidade de isonomia de tratamento, afinal estamos camuflando que é uma professora que está na direção e não conseguiremos que outras educadoras ocupem este espaço!

Nas escolas exclusivas de educação infantil brigaremos para que as educadoras sejam diretoras e vice também. Portanto, se não conseguirem entrar na chapa "principal", façam chapas só de educadoras! Temos que ir para cima com tudo, para afirmar que temos direito de nos candidatar. Temos que trabalhar para conseguir um acordo com as chapas, afinal somos todas colegas de trabalho, fazemos a mesma função e sabemos da capacidade e direito de ambas exercerem esta função. É importante sensibilizarmos nossas colegas professoras de nos permitir neste momento pelo menos sermos vice nas chapas. Mas se não for possível façam chapas só de educadoras!!! Tentaremos garantir pela via política ou judicial. TEMOS QUE TER NO MÍNIMO 13 EDUCADORAS NAS CHAPAS DE ESCOLAS EXCLUSIVAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL.

Nas escolas com turmas de educação infantil tentem entrar nas chapas também, pois nós não podemos desistir do nosso direito. Sensibilizem suas colegas de trabalho para nossa situação. Discutam o PRECONCEITO existente e que temos que unir forças em todas as escolas para eliminá-lo de vez. Muitas professoras viveram o preconceito entre as antigas P1 e P2. Muitas entendem o que passamos hoje.

Vamos puxar uma campanha afirmando que só votamos em chapas que tenham educadoras. Isto é importante para pressionarmos as escolas. Se não conseguirmos entrar nas chapas, faremos campanha de voto nulo, pois assim podemos inclusive "melar" as eleições (tem que ter um mínimo de votantes). Faremos, dia 27, um encontro com o novo prefeito. Tentaremos marcar hora, mas se não conseguirmos, temos que pensar se iremos no comitê ou quem sabe ir para a porta da casa dele. Garantir a posse é importantíssimo, mas antes temos que ter muitas pessoas concorrendo!

Para terminar esta postagem enorme, falo sobre o "debate". Nenhum dos dois candidatos apareceu. Um grupo de educadoras e professoras estava presente e aproveitamos para conversar sobre as eleições municipais e escolares. Foi nesta conversa que conseguimos construir estas propostas acima.

Temos que tomar um cuidado neste momento: somos contra o Márcio (definição em Assembléia), mas não há votação a favor do Leonardo Quintão. Isto é importante porque ele tem chances reais de vencer as eleições, e portanto será nosso patrão. Temos que ter independência política para travarmos nossas batalhas contra a política que ele anunciou (premiação, boletim único e outras já rejeitadas pela categoria). Isto não significa que não podemos votar nele, mas temos que tomar cuidado com nosso apoio público. A escolha de em quem votar é individual, mas o apoio público é coletivo.

Abraços e muita força!!!
Thaís

Um comentário:

Cristina Borges/ Paraúnas disse...

Thaís, como sensibilizar os educadores infantis para que façam chapas e tenham as iniciativas propostas por vc? Vc acha possível enviar representantes da diretoria para as Umeis neste momento para fomentar a efetivação desta campanha? Sinto que a presença de representantes do sind nas umeis é deveras importante. Na Paraúnas, tentarei sensibilizar as educadoras com todos os meus esforços, mas me preocupo com as outras Umeis...