sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Reunião com um dos coordenadores da campanha do Márcio Lacerda

Oi, gente!

Ontem à noite assessores da campanha do Márcio Lacerda solicitaram uma reunião conosco para conversar sobre nossas demandas e sobre as propostas de campanha. Hoje, às 10h, veio ao Sind-Rede/BH o Jorge Nahas (coordenador da campanha e autor do plano de governo do Márcio Lacerda). Apesar de dizerem ontem que o vice Roberto Carvalho viria, hoje só apareceu o coordenador.

A reunião foi tensa. Ele não assumiu compromisso com nenhuma das propostas apresentadas no manifesto da categoria, defendeu a política e a forma de tratamento dada aos servidores pelo governo Pimentel. Além disto informou que algumas das propostas do material distribuído nas escolas esta semana com o título "Márcio vai trabalhar por uma educação mais abrangente e inclusiva" não fazem parte do programa de governo. Entre elas:

  • A garantia de reunião pedagógica prometida, provavelmente será no contra-turno, deixando explícito a proibição de liberação dos alunos, o que aumenta a nossa jornada de trabalho.
  • A Isonomia Salarial, segundo Jorge Nahaas, é um termo muito amplo. Não disse mais nada sobre o assunto. Será que vamos receber o mesmo que as professoras ao concluírem o curso de graduação?
  • As férias em julho, segundo ele, pode prejudicar o atendimento das crianças de 0 a 3 anos. Disse ainda, o que é mais grave para nós, que tem a vontade política de rediscutir a ampliação do calendário da educação infantil. Voltaremos ao calendário ininterrupto?

A íntegra da conversa será disponibilizada, assim que conseguirmos, para vcs. Deixaremos uma cópia no sindicato. Estamos enviando fax agora para as escolas, mas pode ser que não chegue em algumas à tempo.

A diretoria do Sindicato esclarece que abrimos espaço para os dois candidatos, apresentando as propostas da categoria. Não estamos, formalmente apoiando nenhum dos dois e a definição da Assembléia no primeiro turno é contra o Pimentécio.

Abraços com indignação,

Cristiane e Thaís.

3 comentários:

Cristina/ UMEI Paraúnas disse...

Sinceramente, estou com enorme vontade de pedir exoneração... sinceramente.

Cristina/Umei Paraúnas disse...

Bem... fiz o comentário acima mais cedo, ainda na escola, e estava com tanta dor de cabeça!!! Essa semana está demasiadamente tensa, tenho lido inúmeras coisas em várias fontes sobre os candidatos. Fiquei arrasada com a divulgação das intenções de governo de Márcio Lacerda com relação à educação. É pra deixar qualquer educador profundamente desesperançado. Ele está, desde já, deixando claro que vai rolar a política que tem REALMENTE adoecido a gente. Na hora, ao ler a divulgação(que foi enviada pelo sindrede), meu sentimento foi bem esse: vontade legítima e sincera de chutar o balde e deixar de ser servidora.

Anônimo disse...

Oi, Cristina!

Acho q os dois candidatos serão muito ruins para a educação e para a cidade. Mas o que me deixa mais tranqüila é saber q existe muitos servidores públicos de carreira que não vão desistir de fazer um trabalho de qualidade. Somos nós que garantimos as políticas públicas na cidade e nós vamos para o enfrentamento com qualquer um dos dois.

Por isto quando alguém como vc, que realiza um trabalho muito bacana, que considera a criança pequena como um sujeito criativo, de direito, diz q quer "chutar o balde" fico preocupada.

A indignação que sentimos hoje tem que nos ajudar a lutar por nós e pelas crianças que atendemos. A indignação que nos imobiliza não é saudável (ela nos adoece e não mudamos nada), mas a que nos coloca disposta a mudar, falar, contestar e até "chutar a bunda" do Márcio ou do Quintão, é que pode mudar as coisas.

Durante a campanha eleitoral, vi muito maior a possibilidade de diálogo com o Quintão do q com o Márcio. Ontem no debate da Globo percebi o esforço do Leonardo para incorporar propostas nossas (autonomia das escolas, por exemplo) à sua campanha. O que não quer dizer q ele tenha entendido o que significa isto na prática.

Meu voto será contra o Márcio.

Um abraço,
Thaís.